quinta-feira, 23 de setembro de 2010

APARTADA






Longe de tudo, de todos,


de mim...






Reino, absoluta,


presa à vida recriada na cela.






Ensaio um cântico de louvor


ao silêncio que espanta


qualquer lei.






Sei que sou apenas eu:


um rascunho do que serei.










JULENI ANDRADE

Um comentário:

A.Yunes disse...

"Sei que sou apenas eu:
um rascunho do que serei." Juleni Andrade

Sempre tocantes, Juleni, marcados a ferro os teus versos, ao contrário de causarem dor, emocionam, invadem o íntimo... é muito bom te ler.

Abraço grande

(fica o convite para conheceres os meus silêncios... http://aiunes.blogspot.com/)