domingo, 9 de maio de 2010

PELO AMOR DAQUELA MULHER




*****************************

Nascer?

É! Nascer, sair para o mundo,

desabrochar do interior

daquela mulher.

*

Ela enfrenta

náuseas, peso, alguns desconfortos...

A gente nadando,

crescendo, maturando.

*

Ela, em festa...

dolorida, mas em festa,

recebe com muito carinho.

*

Cuida desde semente,

rega com ternura,

prepara o ninho,

aguarda ansiosa...

*

Toda prosa, mostra a cria

(esquece até as estrias),

amamenta,

cobre de elogios

mesmo depois de uma noite

em alerta.

*

Crescer?

É! Crescemos, ganhamos o mundo,

desfolhamos histórias,

fazemos escolhas,

voamos...

*

Ela enfrenta a síndrome

do ninho vazio, a falta do anjinho

que de suas entranhas

brotou.

*

Agradecer?

É! Agradecer é necessário,

pela vida, pelo amor

daquela mulher.



**************

JULENI ANDRADE





Um comentário:

Antonio Carlos disse...

Juleni: também estive aqui...ainda não deu para ler todos...mas lerei com certeza...Aqui vai uma sugestão minha...daquelas chatas...não perco a mania...vc deve mudar a sua foto para aquela aparência que vc posa com as três garotinhas...que me parecem ser suas filhas...enfim vc tá linda demais naquela foto...essa foto atual dá uma escondida na sua beleza...e vc sabe muito bem a minha opinião sobre mulheres poetas...se bonitas são mais que talentosas, são especiais...enfim é minha observação...BEIJOS!!!!!!